receita

ARROZ DE CAPOTE - PIAUÍ
GRAU DE DIFICULDADE:
Fácil
TEMPO DE PREPARO:
1 hora e 30 minutos
RENDIMENTO:
6 porções
CHEF:
Jesus Carvalho
REGIÃO:
Piauí
TIPO DE PRATO:
aves
ingredientes

1 galinha d'angola de aproximadamente 1 ½ quilo, cortada em pedaços
4 colheres de sopa de óleo
1 xícara de chá de cebola picada
2 xícaras de chá de tomate picado
½ xícara de chá de pimentão-verde picado
2 xícaras de chá de arroz branco
½ xícara de chá de salsinha picada
½ xícara de chá de cebolinha picada
½ xícara de chá de coentro picado
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
2 colheres de sopa de colorau
1 colher de chá de orégano
1 colher de chá de cominho
3 colheres de sopa de alho picado
2 folhas de louro
1 colher de sopa de sementes de coentro
½ xícara de chá de vinagre branco
½ xícara de chá de vinho branco

modo de preparo

1 Bata a pimenta-do-reino, o colorau, o orégano, o cominho, o alho, as folhas de louro, a semente de coentro, o vinagre e o vinho branco no liquidificador. Despeje sobre a galinha cortada em pedaços e deixe marinar por 40 minutos;
2 Em uma panela de pressão já aquecida, coloque o óleo e refogue a cebola. Quando estiver dourada, acrescente o tomate e o pimentão, junte os pedaços de galinha e refogue bem;
3 Junte o líquido da marinada, cubra com água quente e cozinhe até que a galinha fique macia;
4 Acrescente o arroz e misture bem. Coloque um pouco mais de água, ficando quatro centímetros acima do arroz;
5 Cozinhe por mais dez minutos na pressão;
6 Verifique se está cozido e acerte o sal. Coloque a salsinha, a cebolinha e o coentro e sirva.

Dicas

-Se preferir, você pode fazer o prato utilizando somente as coxas e sobrecoxas da galinha. Pode também utilizar galinha caipira ou frango

História

Galinha d’angola, ou capote, é um dos principais símbolos da culinária do Piauí

 

Quem for ao Piauí e não comer capote não foi ao Piaui, diz a cozinheira e empresária Jesus de Carvalho, da Chácara Longá, em Teresina. É que nem ir ao Vaticano e não ver o papa, brinca. Capote, é bom ressaltar, é o nome que a galinha d’angola, de sabor semelhante ao de uma carne de caça, como o faisão, ganha no Estado.

Há outras comidas típicas no Piauí, como a galinha caipira ensopada, o maria-isabel –cuja base é uma mistura de arroz com carne-de-sol– e a paçoca de carne. Mas nenhuma como o capote. “Acho que o principal símbolo da culinária piauiense é a galinha d’angola.”

“Vem muita gente de fora para comer no restaurante e diz: ‘Capote eu conheço só o de dar uma rasteira no outro’. Mas aqui não: é um prato saboroso”, Jesus conta.

No quintal da cozinheira, os capotes –bravos e ariscos– vivem soltos e comem mato e também a ração que alimenta as galinhas caipiras. “O capote de quintal demora um ano para ser abatido. E, por ser criado assim, dizem que é o mais gostoso.”

Sua carne é mais dura que a de outras galinhas e, por isso, deve ser cozida por mais tempo, em receitas bem diversas. “Tem capote ensopado ao molho pardo ou no leite de coco, tem frito. Mas acho que a principal receita é o arroz de capote”, conta Jesus.

A receita leva galinha d’angola desfiada, misturada a arroz de colorau e cheiro-verde. “Agora, todo bom arroz de capote tem que ter o ‘pegado’, que é a raspa do fundo da panela, que concentra o arroz queimadinho”, ressalta a cozinheira.

E para completar, vai bem um ovo de capote –de gema cor de abóbora, mais escura que a da galinha caipira– fritinho.

"Agora, todo bom arroz de capote tem que ter o 'pegado', que é a raspa do fundo da panela, que concentra o arroz queimadinho"

Chácara Longá
ONDE PI 113, estrada de José de Freitas, km 4,5, Teresina, Piauí, tel. (86) 99822-9384 / (86) 3232-6868

galeria de fotos

Galinha d'Angola sem penas e antes de ser cozida. foto Rusty Marcellini

Galinha d'Angola. foto Rusty Marcellini

Galinhas d'Angola. foto Rusty Marcellini

Jesus Carvalho em seu quintal com galinhas d'Angola e caipiras. foto Rusty Marcellini

Ovos de galinha d'Angola. foto Rusty Marcellini