receita

BALA DELÍCIA - MINAS GERAIS
GRAU DE DIFICULDADE:
Médio
TEMPO DE PREPARO:
Duas horas e 30 minutos
RENDIMENTO:
Variável
CHEF:
Carlos Alberto de Melo
REGIÃO:
Minas Gerais
TIPO DE PRATO:
Doce
ingredientes

1 quilo de açúcar refinado
200 ml de leite de coco
200 ml de água
½ xícara de chá de margarina

modo de preparo

1 Coloque o açúcar, a água e o leite de coco em uma panela. Mexa bem e leve ao fogo brando. Deixe que ferva até adquirir o ponto de calda de caramelo;
2 Unte uma bancada de mármore com a margarina e, com a ajuda de uma espátula, despeje o caramelo de coco. Espalhe na bancada para esfriar mais rápido;
3 Quando perceber que consegue manusear o caramelo, comece a trabalhá-lo para chegar ao ponto de corte. Esse ponto de manuseio pode variar de acordo a sensibilidade das mãos de cada pessoa;
4 Estique o caramelo o máximo que conseguir. Em seguida, dobre e estique novamente. Repita o processo por várias vezes - você irá notar que o caramelo vai começar a ficar mais resistente e menos transparente;
5 Quando isso acontecer, você já pode cortar as balas com a tesoura no tamanho que quiser. O rendimento da receita vai depender do tamanho que você vai cortar as balas.

História

Bala de coco mineira é puxada
e repuxada centenas de vezes
para chegar no ponto

 

Fazer bala de coco – ou bala delícia – é um processo literalmente puxado. Primeiro faz-se uma calda com açúcar, sal e leite de coco, fervida até chegar em ponto de bala. Depois, despeja-se a mistura quente numa bancada de mármore, onde começa o “puxa-puxa”.

“É minha academia, faço tudo puxando no braço, mas dói, queima a mão, não tenho mais digital por causa do calor da massa. Tenho muitas dores, são mais de dez horas todos os dias, mas já acostumei”, diz o produtor de baladas Carlos Alberto de Melo, 47, conhecido como Xuru.

Para evitar que a bala cristalize são mais de 200 puxadas para chegar ao ponto de corte, num movimento contínuo –no frio, o número chega a 300. Puxada e repuxada, a massa volta à mesa, onde é aberta, recheada, se for o caso, e cortada em quadradinhos.

Na cozinha de Xuru, em Macacos, distrito de Nova Lima, cidade vizinha de Belo Horizonte, são mais de 20 recheios, como brigadeiro, nozes, damasco e limão.

Sua receita tem gosto de coco de verdade, diz Laura Cota, dona do empório belo-horizontino De Lá, que vende as balas do Xuru –e dissemina aos clientes as histórias de cada produtor. A diferença, diz ela, é que ele faz seu próprio leite de coco, num processo trabalhoso. “Não é qualquer bala que usa esse ingrediente sem ser industrializado.”

Sua produção de 150 potes chega a 20 quilos por dia, e precisa recusar pedidos por fazer questão de preparar as balas, sem muitos ajudantes.  “Macacos é uma cidadezinha turística, então minha bala já foi para outros países, como Turquia, Japão, Itália, Espanha, Portugal, Suíça, por meio dos turistas”, conta, orgulhoso.

 

“É minha academia, faço tudo puxando no braço, mas dói, queima a mão, não tenho mais digital por causa do calor da massa"

Xuru – Bala Delícia
ONDE:
rua Dona Maria da Glória, 24, Macacos (São Sebastião das Águas Claras) Nova Lima, Minas Gerais,
Tel.: (31) 98828-4761 / (31) 98726-7973

 

De Lá
ONDE:
rua Santa Rita Durão, 919, Savassi, Belo Horizonte, Minas Gerais,
Tel. (31) 3225-6347

 

galeria de fotos

Xuru puxa a massa de bala delícia - © Leandro Miranda

Bala delícia cortada - © Leandro Miranda

Massa de bala delícia no puxador - © Leandro Miranda

Xuru trabalha com rapidez para puxar a massa de bala delícia - © Leandro Miranda