receita

CUCA - SANTA CATARINA
GRAU DE DIFICULDADE:
Fácil
TEMPO DE PREPARO:
1 hora
RENDIMENTO:
6 porções
CHEF:
Hanna Lora Dahlke
REGIÃO:
Santa Catarina
TIPO DE PRATO:
Quitute
ingredientes

Massa

2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de açúcar refinado
½ xícara de água e leite misturados e mornos
2 ovos
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de fermento químico em pó
½ colher de café de sal
1 colher de chá de raspas de limão

Farofa

½ xícara de açúcar refinado
1/3 de xícara de chá de farinha de trigo
1 colher de café de canela em pó
1 colher de sopa de manteiga

modo de preparo

Massa

1 Em um bowl, misture o leite com água, a manteiga, o açúcar, os ovos, fermento químico e o sal;
2 Acrescente a farinha de trigo aos poucos e vá mexendo com a ponta dos dedos;
3 Amasse bem até formar uma massa elástica e mole. Espere crescer;
4 Adicione as raspas de limão.

Farofa

1 Misture todos os ingredientes com a ponta dos dedos até obter uma consistência de farofa.

Montagem

1 Em uma forma untada e enfarinhada, despeje a massa. Ela deve formar uma camada bem fina;
2 Espalhe toda a farofa sobre a massa;
3 Asse em forno pré-aquecido a 250°C por 25 minutos, ou até dourar;
4 Espere esfriar, desenforme e sirva.

Dicas

-Pode-se usar a batedeira com o gancho para preparar a massa;
-Usar uma forma de fundo removível permite uma apresentação mais bonita do prato;
-Caso queira, aumente a quantidade de raspas de limão na massa e de canela na farofa.

História

Cozinheira de Santa Catarina assa cucas, tradicionais bolos alemães, há 50 anos

 

Foi aos sete anos de idade, na pequena cidade catarinense de Pomerode, a 180 quilômetros de Florianópolis, que Hanna Lora Dahlke, 57, aprendeu com a mãe a assar cucas –tradicionais bolos alemães
“Minhas irmãs mais velhas já iam trabalhar fora. Naquele tempo, o único emprego para elas era de empregada doméstica”, lembra ela. De uma família de agricultores descendente de alemães, hoje Hanna trabalha com buffet de jantares e almoços na charmosa cidade mais alemã do Brasil, com cerca de 30 mil habitantes.
Em sua cozinha, rodeada de panelas, bacias e tabuleiros, Hanna conta que foram seus antepassados que trouxeram, e que a receita se conservou assim.
A base da cuca é sempre a mesma: uma massa parecida com a de pão, mas mais doce. Os sabores da cobertura, por outro lado, são variados. Pode-se usar nata, frutas, farofas doces, chocolate… “Aí é a imaginação de cada um”, diz a cozinheira.
Cinco décadas depois de ter aprendido em casa a assar o bolo, Hanna não deixou os quitutes de lado e se dedica hoje às “cucadas” –produção de cucas em prol de entidades, escolas e igrejas. Dos fornos da cozinheira saem cucas e também pães, feitos para venda beneficente.

A base da cuca é sempre a mesma: uma massa parecida com a de pão, mas mais doce. Os sabores da cobertura, por outro lado, são variados. Pode-se usar nata, frutas, farofas doces, chocolate… "Aí é a imaginação de cada um", diz a cozinheira.

CASA DA GASTRONOMIA
ONDE Pomerode, Santa Catarina, tel. (47) 99158-7199 (Hanna Lora Dahlke)

galeria de fotos

Cuca coberta com farofa doce crocante. foto: Rusty Marcellini

Dona Hanna Lora Dahlke na frente de sua casa. foto: Rusty Marcellini

Detalhe da cozinha de Dona Hanna. foto: Leandro Miranda

Esposo de Dona Hanna Lora Dahlke. foto: Leandro Miranda

A cozinheira Hanna Dahlke na porta da cozinha. foto: Rusty Marcellini

Detalhe da varanda da casa de Dona Hanna. foto Leandro Miranda

Receita da cuca escrita à mão. foto Leandro Miranda

Cozinha da casa de Dona Hanna Dahlke. foto: Rusty Marcellini

Dona Hanna Lora Dahlke e seu esposo na cozinha de casa. foto: Rusty Marcellini